Continua após publicidade

Vote no Destaque 2017 do Prêmio Bravo! de Cultura

Por Bravo
Atualizado em 22 set 2022, 12h20 - Publicado em 27 fev 2018, 08h21

Conceição Evaristo, Grupo Galpão, Linn da Quebrada, Paulo Herkenhoff e Vladimir Brichta concorrem em voto popular

Dentre as dez categorias que fazem parte, neste ano, do Prêmio Bravo! de Cultura, uma será eleita por voto popular. A comissão do Prêmio destacou 5 personagens importantes da cultura, que tiveram uma atuação marcante no ano passado: a escritora Conceição Evaristo, a trupe de teatro Grupo Galpão, a cantora, compositora e ativista Linn da Quebrada, o curador Paulo Herkenhoff e o ator Vladimir Brichta. A votação está aberta, via Facebook — participe já.

Além disso, para a premiação deste ano, um júri com 136 especialistas, dentre críticos, acadêmicos, produtores culturais e artistas, votou nas categorias de Melhor Evento, Programação Cultural e, claro, nas áreas em que são especialistas.

O Prêmio Bravo! de Cultura terá sua segunda edição realizada desde que a revista é publicada por editores independentes. A cerimônia será realizada no dia 27 de março na Casa de Francisca, no centro de São Paulo e elege os destaques da cultura em 2017. O Prêmio existiu de 2005 a 2013 e foi relançado em no ano passado, premiando os melhores de 2016. Veja os vencedores da última edição.

Veja como foi o ano de cada um dos concorrentes a Destaque 2017:

Continua após a publicidade

Conceição Evaristo

Foto: Mariana Evaristo

Talvez seja o caso de dizer que a escritora mineira Conceição Evaristo ganhou, enfim, o reconhecimento que merecia em 2017. Foi uma das protagonistas da Festa Literária de Paraty (Flip), ganhou uma ocupação no Itaú Cultural e teve as suas “escrevivências” — os romances Ponciá Vicêncio e Becos da Memória e poemas como Vozes-mulheres e as Cartas Negras — lidas, relidas e discutidas em escolas, saraus, slams e universidades em todo o país.

Grupo Galpão

Erudito, popular, clássico, brasileiro e mineiro formam o caldo de onde sai o Grupo Galpão. Em 2017, a trupe de teatro comemorou 35 anos de carreira fazendo encenações de todos os seus espetáculos, de Romeu e Julieta (1992) a Nós (2016), Brasil afora.

Linn da Quebrada

De toda a rica safra de artistas contemporâneos (ou contemporanexs) que tratam da causa de gênero, sexualidade e visibilidade trans, Linn da Quebrada talvez seja a mais próxima ao funk e ao rap. No ano passado, lançou o seu primeiro disco, Pajubá, um tratado sobre a inversão da relação de dominação e submissão psicanalítica. Contra o sadismo a que é submetida a população trans, Linn traz ao seu baile diversas outras artistas, performers, dançarinas e ativistas.

Continua após a publicidade

Paulo Herkenhoff

Após deixar a diretoria do Museu de Arte do Rio (MAR), Herkenhoff foi, em 2017, curador de importantes exposições — como a Modos de Ver o Brasil, que comemorou 30 anos do acervo do Itaú Cultural, e São Paulo Não É Uma Cidade, que abriu o prédio do Sesc 24 de Maio. O seu trabalho tem se destacado na luta por uma revisão institucional das coleções de arte e a revelação de jovens curadores.

Vladimir Brichta

Além de viver Gui Santiago na novela Rocky Story e o detetive Zózimo na série Cidade Proibida, ambas da TV Globo, Vladimir Brichta encarnou em 2017 o palhaço inspirado no artista Arlindo Barreto com maestria. Em Bingo — O Rei das Manhãs, um dos filmes nacionais mais assistidos nos cinemas no ano, Brichta embarcou numa viagem pelas drogas e o politicamente incorreto dos anos 1980, com muito humor.

Participe da votação do Destaque 2017 pelo Facebook da Bravo!

Continua após a publicidade
Publicidade